Notícia

Durante 2º seminário, PDRSX debate perspectivas para o Desenvolvimento Econômico da região do Xingu

Publicado em: 07/08/2017

A Coordenação Geral e Câmaras Técnicas 2, 3 e 6 do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX) e Instituto Avaliação (IA), participou juntamente com o Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (SEDEME), na realização do 2º Seminário de Desenvolvimento Econômico do Xingu nos dias 4 e 5 de agosto de 2017, no Centro de Conversões de Altamira. O Seminário foi realizado visando estabelecer um espaço de interação, aproximando atores do setor produtivo, especialistas técnicos e demais agentes públicos e privados, com o objetivo de criar um espaço de discussão e de propostas que possam oportunizar as atividades econômicas regionais, bem como capaz de fortalecer parcerias e estratégias de desenvolvimento econômico na região do Xingu.

O seminário também foi realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (SEDEME); Fundação Amazônia de Amparo à Estudos e Pesquisas (FAPESPA); Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Altamira (ACIAPA); Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (SDR/MI) e; Associação de Municípios do Consórcio Belo Monte (ACBM).

No primeiro momento do seminário, foram realizadas palestras sobre a perspectiva do desenvolvimento e infraestrutura da Região e Xingu (FADESP); atividades produtivas e infraestruturas para o desenvolvimento no Xingu (apresentação dos projetos do PDRSX CT 02 e CT 03 para que se conhecesse o envolvimento do PDRSX nas cadeias produtivas da região); propostas de agenda positiva para a região do Xingu (ACIAPA). As cadeias prioritárias para o desenvolvimento econômico do Xingu do Pará 2030 (SEDEME) também foram destacadas, bem como, foram apresentadas os programas Pará Profissional, Inova Pará e as estratégias de ciência e tecnologia para o desenvolvimento do Xingu (SECTEC).

O debate da Mesa Redonda cujo tema era Inclusão produtiva para o desenvolvimento econômico da Região do Xingu, contou com a participação de representantes da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP), Fundação Amazônia de Amparo à Estudos e Pesquisas (FADESPA), Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX), Associação Comercial Industrial e Agropastoril de Altamira (ACIAPA), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (SEDEME), e Secretária de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnologia (SECTEC).

À tarde, as discussões ocorreram por salas temáticas e em relação as Estratégias de desenvolvimento das cadeias produtivas sob a coordenação da Senhora Poliana Marcolino Correia (Ministério de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia – SEDEME e também coordenadora da Câmara Técnica 02) e coordenação da Senhora Marjorie Barros Neves (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia – SEDEME e também, coordenadoras da Câmara Técnica 03).  Os temas abordados estavam associados a Pecuária de corte e leite; Aquicultura e piscicultura; Cadeia do Cacau; Produtos Florestais Não Madeireiros; Turismo; Industria e Logística e; Fruticultura. Buscou-se identificar os possíveis problemas que podem dificultar o crescimento, desenvolvimento e empreendimentos dessas áreas econômicas, bem como, estratégias para a sua sustentabilidade na região do Xingu.

Em uma linha de discussão, o técnico da Cooperativa de Produção Orgânica de Cacau da Transamazônica e Xingu (CEPOTEX), declarou que na sua Cooperativa existem proprietários de 80 fazendas de cacau, produzindo 600 toneladas de amêndoas/ano e exportando para a Austrália. É preciso que os seminários atraiam novas instituições públicas com técnicos especializados para que haja a melhoria dos negócios na região através da inovação e ao mesmo tempo divulgar informações sobre a economia regional.

A Senhora Maria Amélia Enriquez (Secretaria adjunta de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica do Pará - SEDEME), ressaltou que, o seminário foi realizado nesse sentido, ou seja, para que fosse uma estratégia de se discutir e encontrar alternativas econômicas e tecnológicas capazes de desenvolver as potencialidades da região do Xingu e ao mesmo tempo agregando valor à produção. Apresentou que, a construção de uma incubadora de empresas, com instalações de laboratórios em parceria com instituições como a Universidade Estadual do Pará (UEPA),  Universidade Federal do Pará (UFPA) e o Instituto Federal de Educação Tecnológica (IFPA), juntamente com outras instituições de pesquisa para desenvolver a sustentabilidade a partir de novas tecnologias, tanto de equipamentos como do desenvolvimento, capacitação e formação de pessoas, além do melhoramento da produção, seja ele por processos ou por genética, pode ser o caminho.

Para a Senhora Marjorie Barros Neves (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia - SEDEME e Coordenadora da Câmara Técnica 03 do PDRSX), o objetivo do seminário era debater e articular ações para fortalecer as atividades econômicas da região. É preciso melhorar e ao mesmo tempo aumentar as iniciativas públicas e privadas para que os projetos possam ser continuados e sustentáveis para que haja a melhoria da socioeconomia. Defendeu a elaboração de um plano de ação por área de produção, por atividade com conhecimento e fortalecimento das cadeias produtivas da região, que seria tratado no dia seguinte.

No sábado, dia 5, foram realizados dois minicursos sobre elaboração de projetos: um focado na inclusão produtiva e o outro, na viabilidade econômica.

O Seminário em prol do desenvolvimento socioeconômico do Xingu também buscou divulgar alguns produtos resultantes dos projetos financiados pelo PDRSX. As Famílias que residiam na área urbana de Altamira/PA e que eram afetadas pela elevação das águas do rio Xingu e que atualmente se encontram em Reassentamentos Urbanos Coletivos (RUCs), bairros novos de Altamira, apresentaram a produção do sabão ecológico feito com reaproveitamento de óleo de cozinha. Já a Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Altamira e Região, também contemplada com recurso do PDRSX, apresentou a produção de Mel Flores do Xingu. Outro a participar foi a Associação Inkuri que apresentou a produção de camisetas e artesanato. Na oportunidade, os participantes fizeram aquisições de alguns produtos citados.

A Sra Sandra Xavier, gerente do IA, gestor do PDRSX, considera que o seminário é de grande importância para o desenvolvimento econômico da região do Xingu. Ele promoveu a interação, o diálogo e a parceria. Não obstante, proporcionou a troca de conhecimento e a discussão como meta para atingir vários objetivos. O seminário possibilitou o intercâmbio de ideias e a troca de experiências entre os participantes.

Por Instituto Avaliação, gestora do PDRSX.

  • Altamira, PA
    Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, 2610 – 2º andar
    Bairro: Esplanada do Xingu, CEP: 68.372-005
    Telefone: (93) 3515-6015
    Email: contatopdrsx@avaliacao.org.br
  • Brasília, DF
    CLN 303 bloco C sala 216
    Bairro: Asa Norte, CEP: 70.735-530
    Telefone: (61) 3034-5648
    Email: contato@avaliacao.org.br